Apresentação

Apresentação

domingo, 31 de março de 2013

Domingo da Ressurreição

Autor: Teresa Fernández | Fuente: Catholic.net

A Ressurreição é fonte de profunda alegria. A partir dela, nós cristãos não podemos mais viver com caras tristes. Contempla os lugares onde Cristo apareceu depois de Sua Ressurreição.

Importância da festa

O Domingo da Ressurreição ou da Páscoa é a festa mais importante para todos os católicos. Com a Ressurreição de Jesus adquire sentido toda nossa religião cristã.

Cristo triunfou sobre a morte e com isto nos abriu as portas do Céu. Na Missa dominical recordamos de maneira especial esta grande alegria. Acende-se o Círio Pascal, que representa a luz de Cristo ressuscitado e que permanecerá aceso até o dia da Ascensão, quando Jesus sobe ao Céu.

A Ressurreição de Jesus é um fato histórico, cujas provas entre outras, são o sepulcro vazio e as numerosas aparições de Jesus Cristo a seus apóstolos.

Quando celebramos a Ressurreição de Cristo, estamos celebrando também a nossa própria libertação. Celebramos a derrota do pecado e da morte.

Na ressurreição encontramos a chave da esperança cristã: se Jesus está vivo e está junto de nós, o que podemos temer? O que pode nos preocupar?

Qualquer sofrimento adquire sentido com a Ressurreição, pois podemos estar seguros de que, depois de uma vida curta na terra, se teremos sido fieis, chegaremos a uma vida nova e eterna, na qual gozaremos de Deus para sempre.

São Paulo nos diz: “Se Cristo não tivesse ressuscitado, vã seria nossa fé” (I Coríntios 15,14). Se Jesus não tivesse ressuscitado, suas palavras teriam permanecido no ar, suas promessas teriam permanecido sem cumprir-se e duvidaríamos de que ele realmente é Deus.

Como Jesus, porém, ressuscitou, então sabemos que venceu à morte e ao pecado; sabemos que Jesus é Deus, sabemos que nós ressuscitaremos também, sabemos que ganhou a vida para nós a vida eterna e desta maneira, toda nossa vida adquire sentido.

A Ressurreição é fonte de profunda alegria. A partir dela, nós cristãos não podemos viver mais com caras tristes. Devemos ter cara de ressuscitados, demonstrar ao mundo nossa alegria, porque Jesus venceu a morte.

A Ressurreição é uma luz para os homens e cada cristão deve irradiar esta mesma luz a todos os homens fazendo-os partícipes da alegria da Ressurreição por meio de suas palavras, seu testemunho e seu trabalho apostólico.

Devemos estar verdadeiramente alegres pela Ressurreição de Jesus Cristo, nosso Senhor. Neste tempo de Páscoa que começa, devemos aproveitar todas as graças que Deus nos dá para crescer em nossa fé e sermos melhores cristãos. Vivamos com profundidade este tempo.

Com o Domingo da Ressurreição começa o Tempo pascal, no qual recordamos o tempo em que Jesus permaneceu com os apóstolos antes de subir aos céus, durante a festa da Ascensão.

Como se celebra o Domingo da Páscoa?

Celebra-se com uma Missa solene, na qual se acende o círio pascal, que simboliza a Cristo ressuscitado, luz de todas as gentes.

Em alguns lugares, de madrugada, leva-se a cabo uma procissão que se chama “de encontro”. Nesta, um grupo de pessoas levam a imagem da Virgem e se encontram com outro grupo de pessoas que levam a imagem de Jesus ressuscitado, como símbolo da alegria de ver vivo ao Senhor.

Em alguns países, costuma-se celebrar a alegria da Ressurreição, escondendo doces nos jardins, para que as crianças os encontrem, com base na lenda do “coelho de páscoa”.

O costume mais estendido ao redor do mundo, para celebrar a Páscoa, é o de presentear ovos de doces ou chocolates às crianças e aos amigos.

Às vezes, ambas as tradições se combinam e assim, o buscar dos ovinhos escondidos simboliza a busca de todo cristão por Cristo ressuscitado.

A tradição dos “ovos de Páscoa”

A origem deste costume vem dos antigos egípcios, que costumavam dar-se de presente ovos decorados por eles mesmos em ocasiões especiais. Decoravam-nos com pinturas que tiravam das plantas e o melhor presente era o ovo que estivesse melhor pintado. Eles os colocavam como adornos em suas casas.

Quando Jesus subiu ao céu depois de ressuscitar, os primeiros cristãos fixaram uma época do ano, a Quaresma, quarenta dias antes da festa da Páscoa, na qual todos os cristãos deviam fazer sacrifícios para limpar sua alma. Um destes sacrifícios era não comer ovos durante a Quaresma. E, no dia da Páscoa, saíam de suas casas com cestos de ovos para presenteá-los aos demais cristãos. Todos ficavam muito contentes, pois com os ovos recordavam que estavam festejando a Páscoa, a Ressurreição de Jesus.

Um destes primeiros cristãos deu-se conta num dia de Páscoa, do que faziam os egípcios e se lhe ocorreu de pintar os ovos que iria presentear. Os demais cristãos se encantaram com a idéia e a imitaram. Desde então, são presenteados ovos coloridos na Páscoa, para recordar que Jesus ressuscitou.

Pouco a pouco, outros cristãos tiveram novas idéias, como fazer ovos de chocolate e de doce para presentear na Páscoa. São estes que presenteamos hoje em dia.

Lenda do “coelho de Páscoa”

Sua origem remonta às festas anglo-saxônicas pré-cristãs, quando o coelho era o símbolo da fertilidade associado à deusa Eastre, a quem se dedicava o mês de abril. Progressivamente, foi-se incluindo esta imagem à Semana Santa e, a partir do século XIX, começou-se a fabricar os bonecos de chocolate e açúcar na Alemanha. Isto também deu origem a uma curiosa lenda que conta que, quando colocaram Jesus no sepulcro que lhe havia sido doado por José de Arimatéia, dentro do túmulo havia um coelho escondido, que muito assustado via como toda gente entrava, chorava e estava triste porque Jesus tinha sido morto.

O coelho ficou ali, vendo o corpo de Jesus, quando puseram a pedra que fechava a entrada; e o via e o revia, perguntando-se quem seria este Senhor a quem queriam tanto todas as pessoas.

Assim passou muito tempo, olhando-o; passou um dia toda e uma noite toda, quando de repente, o coelho viu algo surpreendente: Jesus se levantou e dobrou os lençóis com os quais o haviam envolvido. Um anjo tirou a pedra que tapava a entrada e Jesus saiu da cova, mais vivo do que nunca!

O coelho compreendeu que Jesus era o Filho de Deus e decidiu que teria que avisar ao mundo e a todas as pessoas que choravam, que já não mais teriam que estar tristes, porque Jesus tinha ressuscitado.

Como os coelhos não sabem falar, ocorreu-lhe que se levasse um ovo pintado às pessoas, elas entenderiam a mensagem da vida e da alegria e assim o fez.

Desde então, conta a lenda, o coelho sai cada Domingo de Páscoa, deixando ovos coloridos em todas as casas, para recordar ao mundo que Jesus ressuscitou e que é possível viver alegres.

Sugestões para viver a festa

* Contemplar os lugares onde Cristo apareceu depois de sua Ressurreição;

* Pintar, num cartão, a Jesus ressuscitado;

* Adornar e preencher cascas de ovos e presenteá-los aos vizinhos e amigos, explicando-lhes o significado.


[1] Tradução livre de Frei João Carlos Karling, ofm, para uso da página da Paróquia Rede de Comunidades São José, Gravataí – RS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmãos em Cristo, Paz e Bem.
Seu comentário é muito importante para nós...
Muito obrigado pela sua contribuição.
Que Deus lhe abençoe hoje e sempre!
Paróquia Rede de Comunidades São José