Apresentação

Apresentação

domingo, 31 de maio de 2015

Papa Francisco aos franciscanos...

Conservem a autoridade recebida em herança’
Durante o Capítulo Geral que acontece em Assis, na Itália, o Papa Francisco falou aos frades e lhes recorda que o Espírito Santo é aquele que anima a vida religiosa e lhes ajuda a enfrentar os desafios encontrados hoje
As pessoas que se reconhecem pobres diante de Jesus são salvas. Porém, aquele que acha que não precisa da salvação não a recebe, não porque não lhe seja oferecida, mas porque não a acolhe. Foi assim que o Papa Francisco falou aos participantes do Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores. O Papa estruturou o seu discurso em dois elementos essenciais sobre os quais refletiu e orou nestes dias: a minoria e a fraternidade.
"A minoria chama a ser e sentir-se pequena diante de Deus, encomendando-se totalmente à sua infinita misericórdia”, destacou o Pontífice. Além do mais, reconheceu que “a perspectiva da misericórdia é incompreensível para os que não se reconhecem ‘menores’, o seja, pequenos, necessitados e pecadores perante Deus”. Sobre isso, esclareceu que quanto mais conscientes somos disso, mais próximos estamos da salvação, quanto mais convencidos estamos de ser pecadores, mais dispostos estamos de ser salvos.
Minoria – continuou – significa também sair de si, dos próprios esquemas e visões pessoais. Significa “ir além das estruturas – que também são úteis se são usadas com sabedoria – além dos costumes e das seguranças, para testemunhar a proximidade concreta aos pobres, aos necessitados, aos marginalizados, em uma autêntica atitude de compartilhar e de serviço.
Por outro lado, o Santo Padre recordou que a dimensão da fraternidade é uma parte essencial do testemunho evangélico. Dessa forma , referiu-se aos cristãos da Igreja primitiva que viviam tanto a comunhão fraterna que eram um sinal eloquente e atraente de unidade e caridade. Por este motivo, o Papa destacou aos presentes que sua família religiosa "é chamada a exprimir esta fraternidade particular, com uma recuperação da confiança recíproca nas relações interpessoais, para que o mundo veja e acredite, reconhecendo que o amor de Cristo cura as feridas e faz uma só coisa”.
Nesta perspectiva, o Papa quis sublinhar a importância de recuperar a consciência de serem portadores de misericórdia, de reconciliação e de paz. "Realizareis esta vocação e missão se forem cada vez mais uma congregação ‘em saída’”, explicou.
Também salientou a importância de viver "uma existência cristã e religiosa sem perder-se em brigas e fofocas, cultivando um diálogo sereno com todos, com doçura, mansidão e humildade, com meios pobres, anunciando a paz e vivendo sobriamente, contentes pelo que se ofereceu”.
E isso, explicou o Papa, requer um compromisso decisivo na transparência, no uso ético e solidário dos bens, em um estilo de sobriedade e de desapego. Por isso, advertiu que se estão apegados aos bens e às riquezas do mundo, e colocam ali a sua segurança, será justamente o Senhor que os despojará de todo este espírito mundano para preservar o precioso patrimônio de minoria e pobreza ao qual são chamados "através de São Francisco".
A propósito do Espírito Santo, o Papa recordou que é o animador da vida religiosa. "Quando as pessoas consagradas vivem deixando-se iluminar e guiar pelo Espírito Santo, descobrem nesta visão sobrenatural o segredo da sua fraternidade, a inspiração do seu serviço aos irmãos, a força da sua presença profética na Igreja e no mundo”, explicou. E o Espírito lhes ajudará também, garantiu Francisco, a enfrentar os desafios, como o “declínio numérico, o envelhecimento e a diminuição das novas vocações”.
Por fim, o Pontífice recordou à congregação que herdou uma autoridade no Povo de Deus e, portanto, lhes pediu que a conservem, que não a percam.
http://www.zenit.org/pt/articles/o-papa-aos-frades-menores-conservem-a-autoridade-recebida-em-heranca (26 de Maio de 2015)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmãos em Cristo, Paz e Bem.
Seu comentário é muito importante para nós...
Muito obrigado pela sua contribuição.
Que Deus lhe abençoe hoje e sempre!
Paróquia Rede de Comunidades São José